, ,

3 motivos para ter um site pessoal

As empresas devem se fazer presentes na internet já no nascimento do negócio. No Brasil, porém, estima-se que das 22 milhões de micro e pequenas empresas ativas, cerca de 40% delas ainda não possuem um site. Se funciona assim para empresas, você pode imaginar que esse percentual cai ainda mais quando falamos no número de profissionais que utilizam um site para fomentar seu marketing pessoal.

Confira alguns motivos pelos quais ter um site pessoal pode ajudar muito, especialmente na área profissional:

  1. Você controla sua marca

Com um site pessoal, você pode personalizar tudo, desde fotos em background até fontes e a diagramação do texto. Assim, ao contrário do perfil uniforme do LinkedIn, sua personalidade e marca podem ser apresentadas através do site. Quando alguém o encontrar, essa pessoa terá uma representação visual instantânea de quem você é.

  1. É um portfólio instantâneo

As pessoas são visuais, então quanto mais você pode mostrar (ao invés de contar), melhor. Seu currículo pode dizer que você “construiu um blog da empresa após 15,000 leitores comprometidos”, mas com seu site pessoal, você pode levar alguém diretamente ao blog e mostrar por que é tão atraente e o que diferencia seu trabalho. Ao apresentar o seu trabalho, sites em que você trabalhou, artigos que você escreveu, seja o que for, sua página pessoal pode atuar como um portfólio digital do seu trabalho e identidade online.

  1. Você apontar recrutadores na direção certa

Embora nem todas as empresas admitem usar as mídias sociais como parte de seu processo de seleção, muitas as usam informalmente (e convenhamos, os gerentes outras pessoas que fazem parte do processo de decisão também fazem sua própria pesquisa). Portanto, considere isso: se um recrutador vê seu currículo e tentar encontrá-lo no LinkedIn ou no Facebook, você pode se perder entre os outros profissionais que compartilham seu nome ou perfil parecido. No entanto, se você tem um site pessoal que agrega suas várias redes, você tira todas as dificuldades para as empresas encontrá-lo online.

Conteúdo escrito por Leonéia Evangelista. Analista de Conteúdo.